Oi, Prazer! Luã Musi.

Olá, tudo bem!? Primeiramente, boas-vindas ao meu blog! Aqui deixarei registros de minhas práticas mágicas, experiências místicas, e vivências, em geral. Espero que goste! Me apresento um pouco nos parágrafos a seguir.

Eu sou o Luã Musi. Sou paraibano e resido em João Pessoa. Tenho vinte e alguns anos, desde 2015 caminho pela bruxaria, e já saí do armário de vassouras – ou seja: não tenho problema nenhum em saberem que sou bruxo. Na verdade, isso me traz um pouco de orgulho. Acredito que significa que estou em sintonia comigo mesmo, e com quem eu sou verdadeiramente. No círculo social não-mágico me apresento com o meu nome de registro, porém, aqui e entre os mundos eu sou Luã.

Sempre estive em busca de muitas verdades; e agora que tenho uma direção para a qual posso seguir sabendo o que quero, tudo se mostra um pouco mais fácil. Fui criado em uma família tradicionalmente católica, em Borborema, no interior da Paraíba. Cresci com o sentimento de que faltava algo, espiritualmente. E a religião na qual me imergiram desde criança deixou dúvidas e vazios maiores do que a plenitude prometida. Cresci fascinado pela bruxaria, e apesar de as minhas únicas referências terem sido cinematográficas e exageradamente atrativas visualmente, eu sabia que não era somente aquilo.

Eu sempre fui aficionado em Harry Potter, e por mais nada a ver que o universo da saga pudesse vir a ser com o verdadeiro paganismo, foi o que me fez ter a primeira experiência com este mundo, ainda que naquele período – meados de 2009 – eu não tivesse ligado os pontos. Na escola de magia e bruxaria da série, há uma disciplina chamada “Estudo das Runas Antigas“, à qual menciona um alfabeto de letras não tão comuns para um adolescente brasileiro. Já ouviu falar nas Runas? Sempre fui curioso – olá, Sol em gêmeos – e, naturalmente, fui pesquisar a respeito… quando vi, tinha imprimido um pequeno baralho onde cada carta tinha uma das runas. Sem saber eu fiz o meu primeiro oráculo! Guardo até hoje: embora não o use mais em leituras, tem a minha energia, eu que fiz. É especial, representa o meu primeiro contato com o paganismo, mesmo que sem saber.

Deste período de descobertas pelo meu caminho mágico, morei dois anos no estado do Rio de Janeiro, e foi onde atinei de buscar por uma espiritualidade que me completasse. Certo dia, comecei a pesquisar sobre bruxaria, atiçado pela curiosidade. Li muito a respeito, comecei realmente a estudar bruxaria. Quando dei por mim, estava fazendo feitiços utilizando cristais e direcionando energias. Apesar de ser algo comum, para mim, hoje, este foi o ponto inicial.

Ainda no Rio de Janeiro, frequentei um círculo aberto de estudos pagãos. E quando voltei à Paraíba, me veio um estalo: por que não fundar um grupo de estudos de magia? E assim surgiu o Círculo de Estudos Mágicos (o CEM), que funcionou por dois anos, até que me permiti por outros caminhos de estudo.

A meta é continuar aprendendo, e tem funcionado. As experiências que tive, gosto de partilhar. Porque através da partilha de muitos eu aprendi mais, sobre a arte, sobre os mundos, sobre a vida, e mais ainda sobre mim mesmo, e a cada dia aprendo mais e mais.

QUESTIONÁRIO MÁGICO

Atualizado em 06/10/2020.

Este questionário circula há anos pelos blogs de paganismo ao redor do mundo. Achei interessante fazê-lo, inclusive para me conhecer mais. Quem quiser me conhecer, ainda que muito pouco a mais, pode lê-lo. Quem quiser se conhecer melhor, pode fazê-lo. E se quiser postar o seu como resposta, esteja à vontade!

BÁSICO

Você possui um nome mágico/pagão?
Sim, Luã Musi. Por muito tempo, na bruxaria, utilizei um pseudônimo antes de me apresentar ao Universo, na presença das divindades que cultuo, como Luã. No post sobre Nomes Mágicos eu explico como escolhi este nome e o significado dele para mim.

Como você achou o paganismo?
O paganismo me achou – clichê, né? – a partir do momento que comecei a estudar as runas, conto mais da experiência lá em cima. Mas, o que de fato me fez prestar atenção no caminho que eu queria trilhar espiritualmente foi uma amiga próxima, que tinha um dedinho na bruxaria. Lembro bem de estar em sua casa e ver uma bolsinha de proteção mágica, cheia de ervas. Foi o momento que percebi que não era uma realidade distante.

Há quanto tempo você pratica?
Comecei a me entender como pagão praticante em fevereiro de 2015.

Você está fora do Armário de Vassouras?
Estou! E é maravilhoso. Aliás, ser pagão para mim é motivo de orgulho.

Praticante solitário ou em grupo?
Praticante solitário, por ora. Mas existe uma tradição na qual estou buscando dedicação. Mais informações sobre isto nos próximos capítulos. (Risos.)

Qual o seu caminho?
Eu costumo dizer que sigo o caminho da Penumbra, porque as questões que envolvem Trevas e Luz são marcantes para mim. Busco este equilíbrio. Não pertenço a nenhuma religião, mas por um tempo, o que eu entendia por espiritualidade é a wicca. Hoje prefiro uma espiritualidade ligada à bruxaria mais livre, de acordo com o que busco e como manifesto a minha magia. Espiritualidades nórdicas também me inspiram muito. Acredito que pela minha admiração às runas e à Freyja, sinto uma conexão.

DIVINDADES

Qual sua variação de deísmo?
Politeísmo.

Qual é o seu Deus patrono?
Shiva, deus hindu da transformação, da renovação, da destruição, da alegria… Foi curioso o jeito que ele se apresentou para mim. Eu o cultuo como deus-pai.

Qual é sua Deusa matrona?
A cultuo como deusa-mãe. Freyja, deusa nórdica do amor, da magia, da fertilidade, das riquezas, do conhecimento rúnico…

Quais deuses você cultua?
Os deuses aos quais tenho mais proximidade são Shiva e Freyja. Volta e meia, flerto com alguma outra divindade, busco conhecer mais a respeito, mas nada mais profundo até então.

Você teme os aspectos sombrios dos deuses, ou respeita-os?
Respeito e considero muito importantes, por toda a questão da necessidade de equilíbrio. Espero aprender muito com suas faces sombrias.

Você cultua o deus cristão (ou judaico ou islâmico)?
Não cultuo. Porém, tendo crescido em um ambiente onde o cristianismo é majoritário, foi a primeira divindade à qual fui apresentado.

Você cultua animais? Ou plantas?
Não.

NATUREZA

Você comunga regularmente com a natureza?
Sempre que possível. Amo o sentimento de estar cercado por árvores, amo o vento soprando, o mar, a chuva, a Lua.

Costuma ir a acampamentos ou viagens para se harmonizar com a natureza?
Não necessariamente. Gostaria que isso acontecesse com maior frequência, entretanto.

Descreva o momento que você se sente mais próximo da Natureza.
Quando estou cercado de árvores enormes e o vento sopra forte me sinto energizado. Também adoro quando chove, e considero os dias chuvosos os mais bonitos. Entretanto, faz parte do meu caminho, tentar compreender a natureza até mesmo nos locais onde ela não está muito evidente. Na “cidade grande”.

Você possui um familiar?
Não. No entanto, duas filhas felinas dividem o apartamento com o Nox e eu.

Você já chamou pelo poder de um animal em algum ritual?
Já. Foi maravilhoso.

Ou planta?
Sim, com frequência, sempre que utilizo ervas nos meus feitiços e rituais.

Você abraça árvores?
Não me lembro de ter abraçado nenhuma vez, mas de certeza, já fiz troca energética com pelo menos uma. Aliás, não vejo problema nenhum em quem abraça, deixa o povo abraçar!

Dá presentes a elas?
Dei uma vez, na mesma data da ocasião anterior. Pedi cascas de eucalipto e deixei algumas frutas e mel ao pé da árvore, em agradecimento.

Quais são suas plantas favoritas de trabalho?
Alecrim, Arruda, Sálvia e Eucalipto.

RODA DO ANO

Qual seu festival favorito?
Levando em consideração a Roda do Ano, Imbolc. Foi o primeiro festival que celebrei. É o tipo de coisa que fica marcada. Mas também amo de paixão, Samhain. Meus ancestrais têm uma influência muito forte em quem eu sou hoje.

Qual o seu festival menos favorito?
Não tenho um menos favorito. Amo suas simbologias, e entendo seus significados.

Você já conduziu um ritual num Dia Sagrado?
Sim, como bruxo solitário, essa é a minha realidade.

Sempre tira um dia para celebrar um festival Pagão?
Sim, sempre. Nem que seja apenas uma meditação ou alguma prática mágica simples. Ou até mesmo uma reunião em casa, com boa comida e bebida.

Você segue os festivais de acordo com que hemisfério?
Já celebrei pelo Sul, e testei como minhas práticas se adequavam às celebrações pela Roda Norte, mas não fluiu tão bem. Então, Sul!

Alguma vez já sentiu que o Véu estava fino?
Sim! É incrível como fica nítido, especialmente em Samhain.

Como você costuma celebrar os festivais Pagãos?
Com o Nox, em casa.

Já dançou ao redor do Mastro de Maio?
Mini-mastro conta? E no meu caso foi em novembro, já que sigo a Roda pelo Hemisfério Sul.

Sabe o que o Mastro de Maio simboliza?
Sim, claro.

DIVINAÇÃO

Você usa tarot?
Não com tanta frequência. No entanto, este é um dos temas que pretendo estudar mais daqui pra frente.

Você usa runas?
Sim! Afinal, através delas que comecei a trilhar meu caminho pelo paganismo. Amo trabalhar com as runas, desde quando não sabia do que se tratavam! Faço tiragens e leituras, corriqueiramente. E não trabalho com elas somente em oraculismo. Magia rúnica permeia meu cerne.

Usa pêndulo?
Não, embora tenha feito um, que depois virou um colar. Longa história.

Usa astrologia?
Ainda muito pouco, mas tenho me observado muito mais depois que comecei a estudar meu mapa natal. Tenho me conhecido melhor e atentado para certos traços de minha personalidade.

Alguma outra forma de divinação?
Gosto de capnomancia, e pretendo estudar mais a respeito. É, basicamente, uma forma de adivinhação baseada nos padrões que a fumaça de algo queimando cria ao subir.

FEITIÇOS

Qual foi o primeiro feitiço que você fez?
Foi um feitiço com cristais de quartzo rosa, verde e translúcido, para atenuar conflitos familiares e curar relações.

Qual foi o último?
Reforço de escudos e proteções. Periodicamente.

Já fez um feitiço de amor?
De cura, canalizando energia de amor.

Um feitiço para trabalho?
Sim.

Um feitiço de cura?
SIM! Sempre que necessário.

Qual foi o feitiço mais poderoso que você já realizou?
Um feitiço de cura para a minha mãe, que tinha acabado de passar por uma cirurgia reincidente de hérnia. Com dois dias ela estava de pé, e não sentia tantas dores quanto da primeira vez.

Quais deidades você geralmente chama?
Freyja & Shiva, em suas diversas faces, a variar dependendo do ritual.

CRIPTOZOOLOGIA

Acredita em vampiros?
Nos energéticos, sim. Não tenho opinião totalmente formada a respeito dos chupadores de sangue. Mas, é bem possível que algo do tipo exista.

Lobisomens?
Não. Pelo menos não da forma que os mitos são contados. Entretanto, respeito como parte do folclore.

Metamorfos?
Considero a hipótese de sua existência.

Elfos? Fadas? Ninfas? Duendes? Sereias? Sátiros?
Sim, acredito que existam, mas que sejam mais etéreos do que físicos. Entretanto, acredito que possam se fazer vistos, caso queiram.

Dragões?
Não fisicamente. Em outros planos, sim.

Já “viu” um destes acima?
Acredito ter visto um duende no altar de casamento de uma conhecida, por foto.

Já usou algum deles na magia?
Não me lembro.

Você possui um deles como um guardião pessoal?
Não.

MISCELÂNEA

Você vê um coelho, um homem ou uma mulher na lua?
Nenhum dos três.

Possui um gato?
Tenho duas gatinhas. Aliás, elas me têm. (Risos.)

Quando você medita, você se foca em que?
Muito difícil eu parar para meditar, mas busco centrar-me em um local calmo, e observar os pensamentos sem questioná-los até aquietar a mente.

Você trabalha com chakras?
Sim, quando canalizo reiki. Mas muito raramente fora disto.

Acredita em vidas passadas?
Acredito e amo conversar a respeito desta hipótese.

Se sim, descreva um pouco de suas crenças a respeito.
Acredito que por toda a nossa existência experimentamos de tudo. Riqueza, pobreza, vida como humano, animal, planta, deficiências físicas, plenitude, et cetera… e a cada encarnação temos uma penca de coisa a aprender.

Acredita em almas gêmeas?
Sim, sobretudo em almas que escolhem ser “gêmeas” e lutam por isso.

Você possui um guia espiritual?
Todos nós possuimos. (Risos.)

É sempre amor e luz?
Na maior parte do tempo, amor e luz. Mas dar vazão aos sentimentos opostos também é necessário. É tudo uma questão de manter equilíbrio. Aguentar umas coisinhas, descer o vrau em outras, e por aí vai.

Luã Musi

http://www.bruxodelua.com
@bruxodelua

2 comentários sobre “Oi, Prazer! Luã Musi.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s