Círculo Mágico

Mas, afinal, para que serve um círculo mágico? Para qualquer praticante de bruxaria ou magia, essa noção é conteúdo indispensável.


Siga-nos também nas redes sociais, para mais informações. E já te convido para o nosso grupo de estudos, no WhatsApp! Todos os nossos links estão disponíveis aqui! Sempre que tem alguma novidade, como sorteios para os nossos leitores, seguidores e clientes, a gente comunica por lá. E, quem está no grupo fica sabendo de tudo do Bruxo de Lua em primeira mão, além de poder tirar dúvidas diretamente conosco.

E não deixa de entrar em contato se quiser contratar algum produto ou serviço. Tem um link direto para contato conosco através do WhatsApp Bruxo de Lua, caso precise de algum serviço de oraculismo, encantamento, ou magia, no geral.

Bênçãos, e boa jornada!


Circulo Mágico

Um círculo mágico tem inúmeras finalidades, a principal é delimitar. Quando você traça um círculo mágico, é como se abrisse um véu entre os mundos, fazendo daquele local – dentro do círculo, um local sagrado, que tanto existe no mundo físico quanto no astral. É um meio de proteção, por que, quando você traça o círculo, você tem poder dentro dele. É um local “seu”, e você quem manda. Só entra ou sai aquilo que você permitir. Também serve para concentrar toda a energia que você conseguir “juntar” na sua prática mágica, dentro dele, de modo que essa energia não escape para fora e se disperse, vindo a se destinar de uma vez ao objetivo, uma vez que o círculo é aberto.

Sobre isto, precisamos conversar: no momento que o círculo está sendo traçado, ele está sendo fechado! E quando está sendo destraçado, está sendo abertoComumente ouvimos as pessoas dizendo que “abriram” o círculo, como sinônimo de traçar. Mas, pense bem, como um círculo aberto pode conter algo, se está aberto? Se está aberto não é nem mesmo um círculo.

O círculo não precisa ser traçado fisicamente, mas se você não tiver um bom controle de visualização é indicado que faça. Pode traçar no chão, com giz, ou desenhar na terra com um graveto, ou fazer um círculo de cristais, pedras, velas, qualquer traçado ou disposição de objetos que te faça perceber a área deste círculo. Caso já tenha um bom domínio sobre visualização e energia, você pode fazer apenas visualizado, mesmo. Deve ser feito da maneira que te traga mais segurança! Quanto mais você traçar círculos em um local, mais fácil se torna dele ser traçado novamente, inclusive com maior rapidez. E por você se acostumar com aquele círculo, sua visualização dele se torna mais firme. Pode ser tão grande quanto necessário. Entretanto, quanto maior mais energia será utilizada para fazê-lo, e mais energia será utilizada para mantê-lo.

Os objetos mais comuns que são utilizados para traçar círculos mágicos são varinhas, atames, cristais, incensos, tem gente que até passeia com o caldeirão em círculo; há muitas maneiras. Mas, se você não tiver nenhum objeto mágico que possa emitir energia, você pode usar as suas mãos para fazê-lo: é só centrar a energia em você e emití-la pelo corpo, através das mãos – fazendo da mão uma varinha ou atame.

Tem gente, também, que precisa somente girar a mão ao redor do corpo para traçar um círculo, e tem gente que nem de movimentos precisa, tamanha a afinidade com traçagem de círculos; isto é muito pessoal. Com o tempo você se acostuma.

Somente o movimento não cria o círculo, é necessário que haja energia para manter o círculo funcional. Geralmente, é a energia de quem traça que mantém o círculo, então nada de traçar círculos se não estiver se sentindo com energia para fazê-lo. E, é normal se sentir um pouco cansade ou drenade no fim da prática mágica.

Também há a possibilidade de fazer invocações dentro do círculo mágico. Espíritos, entidades, divindades, forças, poderes, energias. Estas invocações são feitas para agregar energia às proteções ou ao que vai ser feito, magicamente. Geralmente são invocados os quatro Elementos (Terra, Água, Fogo e Ar); dependendo das crenças do bruxo ou bruxa, podem ser invocadas divindades, entidades, et cetera. Varia muito da crença e da necessidade. Também há a possibilidade de não invocar nada e ter um círculo tão funcional quanto.

Quando traçar um círculo mágico?

Sempre que for realizar qualquer atividade mágica, é indicado! É recomendado até mesmo para meditar. Pode fechar círculo mágico para tiragem e leitura de oráculos, para quando quiser impedir interferências externas, para se concentrar melhor… enfim, é você quem decide. Mas não faça disto uma obrigação! Você precisa treinar a sua mente, também, para ser funcional até mesmo quando não houver a possibilidade de traçar um círculo.

Como traçar um círculo mágico?

1: Traçado / Fechamento do Círculo

Concentre-se, e centre energia em si mesme para traçar o círculo.

Com um atame, varinha, ou objeto mágico mágico que for utilizar para traçar, ou com as mãos, emita energia e vá traçando o círculo, visualizando a energia saindo de você e se fixando/formando uma barreira. A aparência do seu círculo é você quem escolhe, pode fazer uma esfera, uma redoma, um círculo, uma pirâmide, um cubo, o importante é que consiga visualizá-lo bem, e que permaneça nele.

Algumas tradições têm particularidades diferentes na hora de traçar um círculo mágico. Podendo variar/ter determinado o sentido da criação do círculo e sua aparência: siga os meios da sua tradição! Caso não tenha, se sinta mais livre para fazer da forma que mais te agradar.

2: Invocações (Opcional)

Caso necessário, convide respeitosamente Elementos e representações elementais, divindades, poderes, entidades, para estar presentes em seu círculo. Algumas tradições começam chamando os Elementos e elementais, e em seguida os deuses.

A seguir, é só uma maneira de fazer. Não tome como máxima, mas possa se basear por ela.

  1. Vire-se de frente para o Norte e chame os poderes da Terra (pode chamar a energia dos Gnomos, se quiser);
  2. Vire-se para o Leste e chame os poderes do Ar (pode chamar a energia dos Silfos, se quiser);
  3. Vire-se para o Sul e chame os poderes do Fogo (pode chamar a energia das Salamandras, se quiser);
  4. Vire-se para o Oeste e chame os poderes da Água (pode chamar a energia das Ondinas, se quiser);
  5. Novamente, vire-se para o Norte evoque as presenças espirituais com as quais tenha interesse em trabalhar naquele círculo, muito respeitosamente e com muito cuidado. E separadamente.

Ao chamar, por exemplo, os “espíritos do mares, dos lagos e rios” para o seu círculo, também pode ser dê permissão de entrada a espíritos de pessoas que morreram nestes locais, trazendo para o seu círculo o tormento, agonia e sofrimento, que passaram durante a morte, e assim sucessivamente, o mesmo vale para os “espíritos da natureza”.

Talvez algum desses espíritos, em agonia, tenha se tornado algo que pode ter a intenção e os meios de te ferir. E você deu permissão para estar ali, e o convocou diretamente, sem tratar de especificar o tipo de espírito que permitiria naquele círculo.

Tenha cuidado! Se quer chamar, é preferível que chame “espíritos do mares, dos lagos e rios, que venham em paz e queiram a ajudar na minha evolução pessoal”, ou “que não queiram me causar dano”, ou “que não tenham intenções destrutivas segundo a minha perspectiva”. Tenha cautela!

3: Prática Mágica

Este é o momento em que você faz o que tiver de fazer! A sua prática mágica, de fato, começa agora! Evite evocar seres para o seu círculo se não tiverem a ver com a sua prática, se forem de egrégoras contrárias ao que deseja fazer, ou só por evocar. Por exemplo, não tem nexo evocar uma divindade da fertilização para trabalhar uma questão relacionada à morte. Ou o inverso. E certifique-se de que, se evocar algum tipo de ser, ou divindade, ou entidade, que esta será tratada com respeito, e não será esquecida ou negligenciada dentro do círculo, por toda a duração do ritual.

Você gosta de ir a uma festa e ser deixade de lado pela pessoa que te convidou? Não! Óbvio. Não faça o mesmo.

4: Agradecimentos e Despedidas

É importante lembrar de agradecer a todas as forças/energias/seres envolvidos. E lembrar de despedir-se devidamente, para que estes voltem aos locais de onde foram invocados. Seja cordial e respeitose sempre.

Algumas tradições têm ordem certa para encerrar os ritos, se despedindo das divindades evocadas geralmente em ordem reversa à invocação. Então, preste atenção nisto.

Lembre-se que a festa só começa quando o último convidado chega e só termina quando o último sai.

5: Abertura do Círculo

Depois de agradecer e despedir propriamente a todas as energias, divindades, entidades, você vai absorver de volta, para si, a energia emitida antes para formar o círculo, visualizando-a voltando para você, ao mesmo passo em que o círculo vai se desfazendo.

E está feito!

Luã Musi

http://www.bruxodelua.com
@bruxodelua


DICAS DE VÍDEO:
● “Círculo Mágico” – Wicca TCS;
● “Falando sobre o Círculo Mágico” – Oficina das Bruxas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s