Bruxaria Cristã!?

Primeiramente, não tenciono criar conflitos e nem desrespeitar a individualidade ou o sagrado de cada um. Apenas expresso a forma como é percebida esta minha verdade, a bruxaria. E concordemos em podermos discordar.


Siga-nos também nas redes sociais, para mais informações. E já te convido para o nosso grupo de estudos, no WhatsApp! Todos os nossos links estão disponíveis aqui! Sempre que tem alguma novidade, como sorteios para os nossos leitores, seguidores e clientes, a gente comunica por lá. E, quem está no grupo fica sabendo de tudo do Bruxo de Lua em primeira mão, além de poder tirar dúvidas diretamente conosco.

E não deixa de entrar em contato se quiser contratar algum produto ou serviço. Tem um link direto para contato conosco através do WhatsApp Bruxo de Lua, caso precise de algum serviço de oraculismo, encantamento, ou magia, no geral.

Bênçãos, e boa jornada!


Bruxaria

Alguns a definem como uma religião. Outros defendem que esta pode ser definida como uma ciência. Há outros que se arriscam um pouco mais, dizendo que a bruxaria é uma forma de espiritualidade, que pode ser aplicada a qualquer religião. Mas calma, colega, não é bem assim, não!

Um parágrafo depois, já chegamos ao ponto chave da nossa discussão: “É possível agregar elementos de quaisquer culturas, crenças ou sistemas mágicos nas práticas de bruxaria?” Sim, mas é necessário que uma coisa não vá de encontro à outra. Não dá para existirem “verdades” que se anulem, ou que se oponham.

A bruxaria, de fato, em sua origem etimológica – independente de se vista como religião, como espiritualidade, ou como sistema mágico – tem como base o paganismo, em suma. Nas espiritualidades pagãs se cultua a natureza e seu ciclos, e na grande maioria das vezes a forma de deísmo é politeísta, quando não duoteísta. Ponto.

Muitos veem a bruxaria como algo bem fluido, onde cada um traça o seu próprio caminho e utiliza tudo o que possa agregar algum valor espiritual – é tanto que muitas pessoas têm santos católicos como divindades de culto em seus altares, mas neste caso, é realmente sábio dizer que são altares de bruxaria? Não.

Também, não preciso entrar no mérito de falar a respeito de divindades essencialmente pagãs que foram cristianizadas. – Um salve a Brigid!

Bruxaria Cristã…

Bruxaria Cristã existe?

Como, se o próprio cristianismo condena “práticas de bruxaria, adivinhação, ou qualquer uso de oráculos, ou necromancia“, e coisas relacionadas? Para quem é cristão, sua divindade é tida como o único deus, criador de tudo. Uma antítese às ideias e significações pagãs, das quais deriva a bruxaria. Não tem como ser cristão e bruxo ao mesmo tempo. Tá na Bíblia! (Risos.)

Se havia alguma dúvida, fique claro: bruxaria e cristianismo se misturam tão bem quanto água e óleo. Se você deseja utilizar qualquer coisa do cristianismo dentro da sua egrégora pessoal, esteja livre para fazê-lo. Não estou aqui para invalidar as práticas mágicas de qualquer pessoa.

Cristãos podem fazer magia, e fazem – e muito bem, por sinal, ainda que não aceitem – em seus próprios sistemas. Canalizam magia divina em preces, orações, vigílias, até mesmo curas, benzimentos, e milagres, e em tudo o que move ou molda energia dentro de sua egrégora. Contudo, bruxaria é um negócio onde o buraco é bem mais em baixo.

Paz e amor entre as nações, e, sobretudo, consciência de que bruxaria cristã não existe.

Luã Musi

http://www.bruxodelua.com
@bruxodelua

4 comentários sobre “Bruxaria Cristã!?

  1. A bruxaria cristã seria válida tendo em mente que Cristo tem origem pagã e não cristã. Nos celebramos o Cristo (o filho, o renascimento) em nossos Sabbaths irmão… então qual seria o problema de um bruxo ou bruxa ter o foco de seu culto nele? A grande Mãe não precisa obrigatoriamente ser o centro. Pode sim ser celebrada a trindade pai, mãe, filho na bruxaria e ressaltar o filho por identificação, no sentido de renovação. É como se identificar mais com a Lua Nova do que com a cheia. Entende?

    Curtir

    1. Olá, Tabata! Seja bem-vinda!

      No texto da postagem, você pode ler que “é possível agregar elementos de quaisquer culturas, crenças ou sistemas mágicos nas práticas de bruxaria […] mas é necessário que uma coisa não vá de encontro à outra”.

      A partir do momento que a bíblia, que é o livro de cabeceira de qualquer pessoa que se diga cristã, condena práticas de feitiçaria (note-se que neste contexto, a palavra feitiçaria se refere a toda e qualquer prática mágica de fora do escopo cristão, e considerando que toda pessoa que se diz bruxa é feiticeira), se torna infundada uma prática de bruxaria que leve o termo ‘cristã’.

      Não tensiono de modo nenhum retirar a legitimidade de qualquer prática cristã, e inclusive defendo que toda pessoa (cristã ou não) tenha o direito de expressar sua fé e/ou espiritualidade da forma que lhe convém.

      O cristianismo é uma religião que é cheia de magia, não há como negar. Toda a questão energética e ritualística conta, e é perceptível. Cerca de vinte anos da minha vida, eu vivi seguindo o cristianismo como religião. E a partir dele pude perceber várias espiritualidades de caminhos cristãos. E em nenhum deles, se fazia ou vivia a bruxaria.

      O problema de uma pessoa ter o culto à divindade cristã e chamar de bruxaria é o mesmo que forçar a ideia de “reiki celta”, ou “reiki rúnico”. Respondendo à sua pergunta, o erro está em pegar elementos de um sistema de crenças e/ou energias e tentar introduzir em outro profundamente destoante, e que leva a uma outra verdade não-complementar.

      A jornada é extensa, mas nem todos os caminhos se cruzam.

      Bênçãos, e boa jornada!

      Curtir

  2. Entendo seu ponto de vista, você praticamente só repetiu o que já tinha dito no texto… É uma pena que não pare para reavaliar nem considerar outra opinião, que tem fundamento.

    Curtir

  3. Aí é que está! Minha opinião a respeito do tema não foi escrita de forma leviana.

    É oriunda de profunda reflexão, alinhada a respeito e conhecimento de causa. E aliás, não há problema algum em mudar de ideia!!! É a partir daí que se evolui, levando em consideração que a constância é parente da inércia.

    Entretanto, considerar outra opinião não é excluir um posicionamento. Eu, diante do meu blog e da minha caminhada mágica, me posiciono desta forma.

    E a mudança de opinião ou posicionamento, se vier, tenha a certeza de que serei o primeiro a abraçá-la.Sou mutável. Até lá, defendo meu posicionamento de que bruxaria cristã não existe.

    Bênçãos e boa jornada!

    Curtir

Deixe uma resposta para Tabata Morgën Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s