Velas

A partir do momento que você acende uma vela com uma intenção, a magia já está acontecendo.


Siga-nos também nas redes sociais, para mais informações. E já te convido para o nosso grupo de estudos, no WhatsApp! Todos os nossos links estão disponíveis aqui! Sempre que tem alguma novidade, como sorteios para os nossos leitores, seguidores e clientes, a gente comunica por lá. E, quem está no grupo fica sabendo de tudo do Bruxo de Lua em primeira mão, além de poder tirar dúvidas diretamente conosco.

E não deixa de entrar em contato se quiser contratar algum produto ou serviço. Tem um link direto para contato conosco através do WhatsApp Bruxo de Lua, caso precise de algum serviço de oraculismo, encantamento, ou magia, no geral.

Bênçãos, e boa jornada!


Velas

Primeiramente, é importante ressaltar que as velas não são somente itens de decoração em um ritual. Quando usadas da maneira certa, são “munição e artilharia” pesada. Velas são armas de primeira instância nas práticas de qualquer praticante de magia. Podem ser feitas de diversos materiais, sendo as mais acessíveis financeiramente feitas de parafina. Há também velas feitas com cera de abelha, óleos, e afins, mas pelos processos menos automatizados e mais demorados, quase sempre custam mais caro.

As chamas sempre simbolizaram transformação. E isso vem desde o mito de Prometeu, titã grego que, ao presentear os humanos com fogo, mudou a nossa perspectiva de vida, transformou a sociedade, e abriu portas para locais nunca visitados. As chamas podem representar o calor do aconchego, proteção e conexão divina. E também, luz, em tempos sombrios.

As velas carregam a simbologia do Fogo, porque sustentam o fogo. E são símbolos de luz, calor, do próprio fogo, de energia – característica deste elemento – e também têm ligação com a transmutação. As velas transmutam energia.

Velas Através dos Tempos

O uso de velas é muito antigo, inclusive o seu uso mágico. Os egípcios já usavam velas em meados de 3.000 a.C, mas aos romanos foi creditada esta façanha muito tempo antes. As velas romanas da antiguidade eram feitas mergulhando papiros enrolados repetidas vezes em sebo ou cera de abelha. Eram utilizadas domesticamente inclusive em cerimônias religiosas, e também eram usadas para iluminar o caminho de viajantes. Historiadores encontraram evidências que muitas civilizações anteriores teriam desenvolvido suas próprias variações de velas, como os chineses, que teriam velas feitas de tubos de papel, com o pavio em papel de arroz e cera de insetos. No Japão, cera extraída de castanhas era o material principal para as velas. Já na Índia, é dito que a cera era extraída fervendo o fruto da canela.

Na Idade Média, já, as sociedades ocidentais utilizavam inicialmente velas feitas em maior parte de galhos de plantas secos, embebidos em gordura animal, mas uma desvantagem é que faziam muita fumaça e emitiam um cheiro forte de gordura. Então descobriram a cera de abelha como material principal para velas, mas muitos não podiam utilizar tendo em vista o seu custo. Então, o uso doméstico era em maior parte feito em velas de sebo, sendo as de cera mais utilizadas em templos religiosos.

Nos tempos coloniais, a indústria de caça de baleias trouxe as primeiras velas “padrão”. Eram feitas de spermaceti, uma cera obtida a partir do óleo do esperma cristalizado de baleias.

Muitos outros materiais foram utilizados como matéria para velas, e o material mais comum para as velas de hoje só foi descoberto em meados de 1850. Os avanços químicos permitiram a separação da substância cerácea oriunda do petróleo e o seu refinamento, gerando a nossa tão conhecida parafina. Cerca de 20 anos depois, com a criação da lâmpada elétrica, as velas caíram em desuso como fonte de iluminação principal. Seu comércio voltou a deslanchar já no Século XX, já como itens de decoração, o que impulsionou a criação de diversos modelos, formas, cores e tamanhos, para todos os gostos.

Atualmente, é fato que a utilização de velas como fonte de iluminação doméstica declinou, mas o seu uso cerimonial em cultos e religiões continua crescendo. Em uma abordagem mais caoísta, por assim dizer, até velas de LED podem ser utilizadas na magia. Velas virtuais podem ser tão úteis quanto as físicas. Alô, tecnomagia. Abaixo alguns formatos de velas, dos mais diversos materiais e formatos.

Uso Mágico de Velas

Antes de qualquer coisa, depois de comprar velas, é absolutamente necessário  purificar. Afinal, você não tem como saber que tipo de energias podem estar contidas na vela, impregnadas desde sua fabricação, até o momento em que chegam às suas mãos.

Em seguida, é necessário consagrar as velas antes de utilizá-las magicamente. Para isto você vai precisar “vestí-la”. Falo a respeito mais abaixo. Como fazer, você que escolhe! Quando você consagra, você dá utilidade mágica, um propósito, e magnetiza aquela vela para atrair e direcionar toda a energia para aquele propósito da consagração.

A partir do momento que você acende uma vela com uma intenção, a magia já está acontecendo.

Escrita em Velas

Não posso falar disso sem levantar a questão da simbologia pessoal: esta simbologia, faz sentido para mim. Se não faz sentido para você, muito que bem, concordemos em discordar.

Escrita em Velas

Qual o sentido em que a vela queima? Da chama no topo do pavio para a base! Então, se ela queima neste sentido, não seria interessante aproveitar a própria energia da queima para atingir o seu objetivo? Enquanto a chama vai queimando, em seu sentido natural, vai energizando aquilo o que escreveu, tornando isto uma realidade mais próxima. Deste modo, para atrair ou fazer aumentar, você escreve da ponta (onde estará a chama) para a base.

Já para banir, se escreve no sentido contrário: da base da vela, para a chama. É como se a chama “desfizesse” o escrito, anulando-o.

Caso sinta necessidade de vestir a vela, você precisa escrever nela antes disto.

Vestir a Vela

Sabe o que é vestir, a vela? É untar, basicamente. Para isto você vai necessitar de um óleo mágico, feito ao seu critério, podendo ser apenas para untar, como também para adicionar mais energia ao propósito mágico daquela vela. Também pode utilizar um óleo essencial natural, preferencialmente. Vestir a vela pode ser entendido como uma consagração.

Depois de ungí-la você a veste, de fato, adicionando alguma coisa que vai se fixar à vela, graças à camada de óleo em seu exterior. Pode ser um pó de ervas, por exemplo. Conforme a chama queimar, a “roupa” da vela também queimará, liberando esta energia.

Outra maneira de vestir a vela é com um pouco de parafina ou cera líquidas, que ao esfriarem, fixarão melhor a roupagem da vela, como nas imagens a seguir.

Perguntas Importantes

A vela precisa queimar até o fim?
Sem sombra de dúvida: sim! Lembre-se que aquela vela foi consagrada, toda, inteira, para aquele propósito. Então, não dê essa bola fora, e deixe queimar até o final, até não ter mais pavio. Contudo, as velas devem ser queimadas de acordo com a sua necessidade. Tá precisando de uma solução mais rápida? Queima a vela toda o mais rápido possível. É uma vela devocional ou consagrada a alguma divindade? Acende enquanto estiver trabalhando com aquela divindade, e depois, respeitosamente, apaga.

O tamanho da vela importa?
Para você, importa!? Para mim, quanto mais tempo a vela passar queimando, mais energia ela irá canalizar para aquele objetivo. Claramente, uma série de fatores influencia: foco, vontade, energias associadas… resumindo, tudo depende de tudo, não apenas de algo específico, como a tamanho da vela. E mais, se você precisa de muita energia em um curto espaço de tempo, acenda mais velas, de tamanho menor. Se precisa de energia constante por muito tempo, acenda uma vela de sete dias, por exemplo.

Como agregar mais energia à magia com velas?
Utilize tudo o que estiver ao seu alcance. Atente para o sentido da escrita, caso escreva algo, e faça uso de quaisquer outras simbologias que tiver. Quer agregar uma simbologia numerológica? Faça! Escreva algo que tenha a ver com a magia essa dada quantidade de vezes, poer exemplo. Ou polvilhe determinado pó de ervas, ou passe um incenso que possa agregar energia, essa dada quantidade de vezes! Ou use essa dada quantidade de velas! Pode usar cores, preces, quaisquer associações que preferir. Use a criatividade. Quanto mais atenção tiver às simbologias e ao seu uso, mais energia agregará à magia.

As velas para a magia só devem ser acendidas com palitos de fósforo?
Existem pessoas que acreditam que sim. Eu não compactuo com este pensamento. Acende a vela com o que tiver, pessoa! O elemento Fogo transcende a manifestação física da chama.

É verdade que não posso soprar a vela? Preciso abafar, para apagar?
Muita gente defende que apagar uma vela soprando é colocar silfos e salamandras em guerra, um desrespeito. Gente, para. (Risos.) Pode soprar sim.

Preciso ficar no local enquanto a vela queima?
Não é necessário ficar o tempo todo prostrado, do lado da vela, mas é bom manter ao menos o pensamento na energia sendo transmutada, e, o mais importante: NÃO SEJA NEGLIGENTE! O fogo consome! Tenha muito cuidado ao sair e deixar a vela descuidada.

Luã Musi

http://www.bruxodelua.com
@bruxodelua


REFERÊNCIAS:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s