Afrodite

Provavelmente uma das deusas mais famosas do mundo, Aphrodite talvez seja a deusa mais mal compreendida da história. Vamos conhecer mais sobre ela?


Boas-vindas, caminhante pela penumbra! Clicando aqui você chega direto no nosso grupo do WhatsApp. Por lá você fica sabendo das novidades antes de eventualmente virem para o blog. A propósito, clicando aqui você acessa todos os nossos links.

Bênçãos, e boa jornada!


Quem é Aphrodite

Aphrodite é a deusa grega do amor, das paixões, do desejo, protetora dos viajantes, das mulheres, dos abandonados e mãe de todas as criaturas vivas. O  nome Aphrodite vem de Aphrós (ἀφρός) que significa “espuma do mar” e Dítē (δίτη) que pode significar “brilho” ou “aquela que veio”. Para apaziguar gregos e troianos (risos), a tradução oficial aparentemente foi definida como “aquela que brilha da espuma do mar”. Seu nascimento é motivo de debate e muita incerteza. Possuidora de muitos epítetos (muitos MESMO), Aphrodite tem dois mitos de nascimento. Aphrodite Pandemos, que significa “comum a todos” nasceu durante a guerra dos deuses contra os titãs, onde os testículos de Urano foram cortados e fecundaram Tálassa, O Mar.  Ela foi representada montada em um bode para simbolizar que ela era comum a todas as pessoas.  Seu segundo mito  de criação é que Zeus teria engravidado a deusa Dione e dessa união nasceu Aphrodite Urania, A Celestial”. Urania é representada montada em uma tartaruga, símbolo de sua divindade.

O Nascimento

Durante a titanomaquia, Urano teve seus testículos cortados, e eles caíram no mar. Isso fez com que o mar se tornasse fecundado e então nasceu Aphrodite. assim que Zeus a viu, ficou espantado pois ele sabia que sua beleza poderia ser motivo de conflito entre os deuses que já começavam a disputar entre si para saber quem iria desposá-la. As ninfas a prepararam e ela foi levada ao monte Olimpo.

Aphrodite e Ares

Certo dia, Ares chegava do campo de batalha carregando uma comprida e pesada lança e começou a fazer piada da arma de Eros. Eros lhe respondeu “Esta é pesada. Segure e você verá.” Ares então segurou o dardo de Eros enquanto Aphrodite sorria em silêncio. Com um grunhido ele admitiu. “É muito pesada. Tome de volta.” “Fique com ela”, disse Eros e se presume que foi esse gesto de Eros que uniu Aphrodite e Ares em um laço de amor.

O casamento de Aphrodite e Hefesto

Tudo começou quando Hera atirou Hefesto do Olimpo, envergonhada por ter dado a luz a um ser “tão imperfeito”. Ele foi resgatado por Tétis e Eurínome e criado em uma caverna perto do rio Oceano, onde ele se tornou um habilidoso ferreiro. Rancoroso pela atitude de sua mãe, ele enviou diversos presentes para o Olimpo, entre eles, um trono de ouro para Hera. Encantada, ela se senta no trono e imediatamente a armadilha se ativou e ela ficou presa nele. Zeus buscou ajuda de outros deuses para conseguir libertar sua esposa, prometendo a mão de Aphrodite em casamento para aquele que trouxesse Hefesto de volta ao Olimpo. Aphrodite concordou, pois achava que seu amado traria o ferreiro ao Olimpo. Ares invadiu a forja de Hefesto completamente armado, mas foi facilmente derrotado com uma chuva de metal flamejante. Dionísio então se aproximou do ferreiro e disse que ele poderia ter a mão de Aphrodite caso libertasse sua mãe. Ele se agradou do plano e subiu ao monte Olimpo, libertou Hera e se casou com a relutante Aphrodite.

Aphrodite e Adônis

Conta Hesíodo que certa vez, Aphrodite estava furiosa com uma princesa chamada Smyrna pois ela não lhe prestava respeito. Ela então amaldiçoa a princesa com um desejo incontrolável por seu pai e com a ajuda de sua criada, se deita com ele por doze noites sem que ele saiba. Quando ele descobriu o que aconteceu, sacou de sua espada e passou a persegui-la. Ela clamou por misericórdia aos deuses, e eles a transformaram em uma árvore. Nove meses se passaram e a árvore se abriu ao meio e dela saiu o bebê Adônis. Ele era tão belo, que Aphrodite o colocou em um cesto e o escondeu dos deuses, deixando que ele ficasse escondido com Perséfone. Acontece que Perséfone passou a se interessar por Adônis e se recusou a devolvê-lo para Aphrodite. Esta então recorreu a Zeus, buscando justiça. Ele decidiu dividir o ano em três. Um terço do ano ele passaria sozinho, um terço com Aphrodite e um terço com Perséfone, porém, ele escolhe passar também seu terço com Aphrodite. Algum tempo depois, Adônis foi atacado por um javali e faleceu. Na época da morte de Adônis, Aphrodite, abatida com a morte de seu amado, viaja para longe e esse é um dos presságios da chegada do inverno.

O julgamento de Páris

Tudo começou no casamento de Peleu e Tétis. Éris, deusa da discórdia ficou furiosa por não ter sido convidada para o casamento e armou um plano para dar o troco. Ela foi até o jardim das Hespérides e roubou uma das maçãs douradas, com suas garras escreveu kallistēi (“para a mais bela”) e lançou no meio das deusas presentes no casamento. Imediatamente elas iniciaram uma disputa para determinar quem deveria receber o prêmio até que restaram Aphrodite, Hera e Atena. Elas exigiram que Zeus escolhesse uma delas, mas ele, querendo evitar qualquer conflito entre elas, mandou que Hermes fosse até a terra e escolhesse um humano justo que pudesse decidir. Ele encontrou Páris, um pastor e pediu que ele fizesse a escolha. Atena prometeu que se a escolhesse, teria poder e influência militar. Hera lhe ofereceu poder, soberania e respeito. Aphrodite lhe ofereceu o amor da mulher mais bela entre as humanas, Helena. Ao lhe mostrar a imagem da mulher, Páris ficou tomado de paixão e escolheu Aphrodite como a legítima dona do Pomo de ouro.

Epítetos de Aphrodite

Epítetos são títulos que uma divindade recebe por suas características. Geralmente têm a ver com a forma como as divindades se apresentam a cada um dos povos em seu diversos locais de culto.

Epítetos Geográficos
  • Cipria (Kypria): Do Chipre;
  • Paphia: De Paphos;
  • Syria: Da Síria;
  • Erycina (Eyrkinê): De Erix (sicilia);
  • Kythereia: De Citera (Lacônia);
  • Kolias: De Kollias (Attica);
  • Knidia: De Cnidos;
  • Pyrenaea: De Pirenée;
Epitetos de Culto e Poéticos
  • Anadiomêne: Nascida do mar;
  • Acraea: Das alturas;
  • Ourania: Celeste;
  • Kêpois: Dos Jardins;
  • Antheia: Amiga das Flores;
  • Nymphia: Nupcial (esposa);
  • Migôntis (Migonitis): A da união matriarcal;
  • Hêrê: Do casamento (de Hera);
  • Ganelia: A protetora das famílias, da tribo, do grupo, ancestrais;
  • Genetulia: A protetora da gestação, do nascimento.;
  • Ampéres: do amor entre família;
  • Eleemon: Misericordiosa, que ouve as dores e aconselha;
  • Ambologera: A que venceu a velhice;
  • Nikêphoros: A que traz a vitória;
  • Dôritis: Generosa (recompensadora);
  • Pontia: Dos mares;
  • Limenia: Dos portos;
  • Xenia: Extrangeira (dos povos e culturas ancestrais);
  • Euploia: Protetora dos Viajantes
  • Morpho: Das formas, formosa, que assume e que dá formas;
  • Apotrophia: A que afasta (se afasta);
  • Epistrophia: A que retorna (traz de volta);
  • Atanati: Imortal;
  • Poikilóthron: De flóreos mantos furta-cor;
  • Basilis: Soberana, Rainha;
  • Eustephanos: Ricamente coroada, de belas guirlandas;
  • Khryseê: Dourada;
  • Philommêides: Amante dos sorrisos;
  • Pandemos: Comum a todos;
  • Kalipugos: Das belas nádegas;
  • Areia: Companheira de Ares, amante da guerra;
  • Hôplismene: Toda armada, combatente;
  • Kataskopia: A que espiona, que observa;
  • Psithrystês: A que sussurra;
  • Symmakhia: A aliada (principalmente no amor);
  • Apatouros: A enganadora;
  • Enóplio: A inteligente, astuta e estrategista;
  • Peitho: Persuasiva;
  • Dolóplokê: Tecelã de Ardis, ardilosa;
  • Makhanitis: Inventora;
  • Erínea: A vingativa;
  • Thumborikos: Cavadora de túmulos;
  • Androphonos: Matadora de Homens;
  • Persefesa: De Perséfone, do submundo, do inconsciente, dos mistérios;
  • Zêrynthia: Senhora da magia e dos espíritos;
  • Doloploké: A senhora dos destinos (moiras);
  • Melainis: A escura, a noturna, a obscura (a noite e seus prazeres);
  • Philopannyx: A dona da noite (o desejo pelo noturno);
  • Praxis: do ato sexual;
  • Porné: A do sexo como moeda de troca;
  • Hetaerae: Padroeira das prostitutas;
  • Pothon mêtêr: Mãe do Desejo;
  • Dionísia: A de Dionísio, entregue aos prazeres, vícios e torpores;
  • Aphrosuné: A loucura, a entrega absoluta dos sentimentos.

Principais Símbolos de Aphrodite

Alguns de seus símbolos são a maçã dourada, o louro, a pomba, o cisne, o ganso, as andorinhas, a rosa, a alcachofra, conchas do mar, (especialmente a bivalvia), Romã, abelha, Anemona, o espelho. Mel. Golfinhos, Murta,

  • A maçã dourada foi dada à Aphrodite por Páris Alexandre quando ele a declarou a mais bela de todas as divindades.
  • O louro representa Aphrodite porque é conhecida como a flor do crescimento da família.
  • A pomba, o cisne e o ganso são aves queridas de Aphrodite por sua beleza e graça. Acredita-se que o Canto do cisne significa o amor eterno, transcendental e eterno.
  • A rosa é o símbolo do amor mais comum, Muito Banalizada hoje em dia, mas ela representa o caminho do amor.  Seu caule espinhoso significa a jornada difícil dos apaixonados e a flor representa seu sentimento. Acredita-se que o perfume de rosas é o favorito da deusa.
  • As conchas do mar representam a forma que a deusa foi trazida para terra do mar. A Afrodite foi atribuída especialmente a concha Bivalvia, pois acredita-se que foi essa a concha que a carregou para a terra.
  • O espelho é um símbolo de beleza, mas também é o símbolo da verdade e é uma referência ao planeta Vênus que é tradicionalmente ligado à ela.

Tabela de Correspondências para Aphrodite

  • Esferas de Controle: Amor, Prosperidade, Sexualidade, Sensualidade, Procriação, Proteção, Criação, Guerra, Paixão.
  • Animais: Gansos, Cisnes, Pombos, Golfinhos, Abelhas, Bodes e Andorinhas.
  • Cores: Vermelho, Rosa, Violeta, Prateado, Aquamarine, Verde pálido (espuma do mar) ,e todos os tons de azul claro.
  • Ervas e Plantas: Rosa, Murta, Marmelo, Menta, Uva (frutos, vinhas e folhas), Maçã, Alcachofra, Louro, Freixo, e qualquer árvore polar.
  • Cristais e Minerais: Pérolas, Ouro, Água-marinha, Quartzo-Rosa, Jade, Safira, Prata e Cobre.
  • Dia da Semana: Sexta-feira (A sexta-feira é o dia dedicado ao planeta Vênus, que era diretamente ligado à deusa Aphrodite.)

Nox Ásteris

http://www.bruxodelua.com
@bruxodelua


Referências Bibliográficas:
http://www.theoi.com
Apostila “Epítetos”, da página “Filhos de Aphrodite”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s